segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

O Google faz o que quer da internet e fica por isso mesmo.

O Google faz o que que da internet. E fica por isso mesmo
O google faz o que quer da internet e fica por isso mesmo
*********O google faz o que quer da internet e fica por isso mesmo
O browser Chrome - o navegador mais utilizado no mundo, com um share de cerca de 60% - começou esta quinta -feira a bloquear as publicidades mais intrusivas. A Google, a dona do programa e a empresa que quer ser sinónimo de internet, diz que esta é uma forma de combater os anúncios que não respeitam as boas práticas. E, ainda que a medida tenha um efeito aparentemente positivo para o utilizador, é a demonstração de como, para estarmos na net, ficamos à mercê. É um facto por demais evidente que a publicidade online tem muitos problemas. Na tentativa de captar segundos de atenção, usam-se técnicas muito intrusivas, algumas capazes mesmo de fazer um inferno de qualquer normal navegação na internet. Uma vez que a web como a conhecemos não seria possível sem as receitas de publicidade, é de facto premente criar soluções, standards, para os anunciantes e as suas plataformas de distribuição, que tanto possibilitem a eficácia dos anúncios como protejam os direitos dos utilizadores. É mais ou menos isto que a Coalition for Better Ads (betterads.org) afirma querer fazer, através da chamada autorregulação. A organização reúne algumas das maiores multinacionais do mundo, de áreas tão diferentes como os bens de consumo (Unilever, Procter & Gamble), a comunicação social (Washington Post, Reuters) ou a tecnologia (Microsoft, Facebook). A Google é um dos seus membros fundadores. Agora, todos os anúncios que não cumpram os critérios estabelecidos pela Better Ads (betterads.org/standards) serão bloqueados pelo Chrome. Publicidade em pop ups, vídeos de arranque automático com som, anúncios com temporizador (que não permite prosseguir ou visualizar o conteúdo até passar um determinado tempo) estão entre os que deixarão de aparecer durante a navegação no PC. Em mobile (o sistema Android, igualmente da Google, tem mais de 80% do mercado e o Chrome é o seu browser predefinido), passam a ser "proibidos" os anúncios que obrigam a scrolls intermináveis ou os que piscam no ecrã, por exemplo. O mundo da internet só ficará de facto melhor sem este tipo de coisas. Mas convém não esquecer que a mesma Google fundadora da Better Ads é também plataforma de distribuição de publicidade. E que praticamente todo o seu rendimento (a Alphabet, a empresa mãe, declarou 32,32 mil milhões de dólares de lucro no último trimestre do ano passado) provém dos anúncios que coloca nos seus sites (motor de busca, YouTube...) e nos sites de outras empresas e pessoas. A Google promete que comunicará aos anunciantes e/ou às plataformas que não estejam a cumprir as regras, dando-lhes 30 dias para mudar. O bloqueio, se de facto se concretizar, apanhará todos os anúncios no site em questão - incluindo os que vierem via GoogleAds. Desta forma, a empresa parece ficar protegida de críticas. Afinal, os seus próprios anúncios poderão ser afetados pela medida. Mas num mercado em que as receitas de publicidade mal chegam (mais correto: não chegam) para os gastos de muitos produtores de conteúdos - incluindo alguns dos maiores jornais do mundo - a simples ameaça de vir a perder o que atualmente têm é motivo de preocupação. E, por acaso (inserir ironia), até pode ser uma bela motivação para que aumentem o peso dos anúncios vindos da Google, que se encarregará de garantir que passam os critérios. Conclusão: a empresa que foi determinante a estabelecer os critérios de como deve ser a publicidade online usa o facto de possuir o browser mais utilizado do mundo para ameaçar outras empresas (que lhe fazem concorrência, enquanto promotora de publicidade), com a provável consequência de pelo caminho obter mais espaços para pôr os seus anúncios. Uma jogada genial - dirá um acionista, com certeza.

domingo, 18 de fevereiro de 2018

Quais as diferença entre 4G, 4.5G, 5G e outras redes

Quais as diferença entre 4G, 4.5G, 5G e outras redes A Claro foi a última grande operadora brasileira a entrar na onda do "melhor que o 4G". Recentemente, a empresa anunciou o plano 4.5G, que promete internet móvel mais rápida que o 4G normal aos clientes da provedora. No entanto, a Claro não é a única a oferecer um "4G melhorado". A Vivo, por exemplo, oferece um "4G+", que também promete ser uma versão mais rápida da geração mais veloz de internet móvel disponível no Brasil. Na realidade, o "4.5G" da Claro e o "4G+" da Vivo são nomes diferentes para um mesmo padrão, chamado de LTE Advanced. Trata-se de um sistema formalizado em 2011 pela 3GPP (3rd Generation Partnership Project), uma organização internacional de telecomunicações. Para entender o que o LTE Advanced faz, primeiro precisamos repassar o que são as redes 2G, 3G e 4G que conhecemos. Cada "G" desses termos se refere uma geração de tecnologia de internet móvel, sendo a mais recente, a quarta geração, chamada de 4G. 2G ,3G
Para a internet móvel oferecida pela sua operadora chegar ao seu celular, o sinal é transmitido por ondas de rádio a partir de antenas. As redes de 2G usam um padrão chamado GSM que, no Brasil, ocupa as faixas de 900 Mhz e 1900 Mhz. A velocidade da internet varia de 40 Kbits por segundo até 500 Kbits por segundo. O 3G, mais famoso no Brasil atualmente, já usa um novo padrão chamado oficialmente de IMT-2000, que foi certificado pela União Internacional de Telecomunicações no começo dos anos 2000. Mas dentro dele, há outras padronizações mais específicas que são escolhidas por cada operadora. No Brasil, a faixa mais usada para o 3G é a de 1900 e 2100 Mhz, mas há quem utilize as de 900 e 1700 Mhz, anteriormente utilizadas também pelo 2G. Tudo depende da estrutura da operadora, da área de cobertura e da velocidade da internet. Segundo a União Internacional de Telecomunicações, pode ser considerada 3G uma internet móvel com velocidade superior à de de 200 Kbits por segundo, chegando a alguns Megabits por segundo dependendo da tecnologia usada pela operadora. 4G Chegamos, finalmente, ao 4G. A quarta geração foi padronizada também pela 3GPP e, no Brasil, tem reservadas as faixas de 2500 Mhz e 1800 Mhz onde não há mais 2G. Mas com o fim da TV analógica em algumas regiões isso do país, a cobertura tem crescido, incluindo as faixas de 700 Mhz em alguns cantos. Normalmente, a velocidade média de uma conexão 4G no Brasil deve ficar em torno dos 20 Megabits por segundo, mas pode chegar, em tese, a até 300 Mbps. Tudo depende, de novo, da infraestrutura da operadora, cobertura do sinal e também das antenas disponíveis no seu telefone.

Nintendo Switch é Adiado lançamento no Brasil


Nintendo Switch é Adiado lançamento no Brasil

O Switch, console mais atual da Nintendo, ainda não é vendido oficialmente no Brasil, mas este quadro pode mudar em breve. O aparelho foi homologado pela Anatel, Agência Nacional de Telecomunicações, ou seja, registrado em caráter oficial como um produto seguro para ser utilizado pelo público consumidor. O registro pode significar que seu lançamento está próximo, mas nem a Nintendo, ou antigas empresas parceiras da produtora, se manifestaram sobre o caso ou a possibilidade – até segunda ordem.
Além da homologação pela Anatel, o console já aceita, há algum tempo, registro online com endereços brasileiros. A novidade, porém, é que agora também é possível acessar o eShop, loja online do aparelho. A loja ainda está vazia e só é possível ativar um código de cartão pré-pago ou jogo digital, mas este é outro possível indício de um eminente lançamento nacional.
O Switch foi lançado em março do ano passado nos EUA e chegou ao Brasil por meio de importadoras, em caráter não-oficial. Houve ainda a polêmica da suspensão da comercialização do console em sites de leilão, com a justificativa de que ele não era homologado pela Anatel – a novidade também pode significar um retorno deste comércio.
Os registros no site do órgão brasileiro foram feitos em 8 de fevereiro, pelas empresas M RS Digital Ltds e Foxconn. Além do console, os controles Joy Con também passaram por registros oficiais

Cuidado novo Golpe no WhatsApp usa promoção da Boticário como isca.


Cuidado novo Golpe no WhatsApp usa promoção da Boticário como isca.

Uma promoção da marca O Boticário foi usada por criminosos para disseminar um golpe no WhatsApp. Somente nas últimas 24 horas, mais de 140 mil pessoas foram enganadas, de acordo com análise divulgada nesta sexta-feira (16) pela empresa de segurança PSafe, desenvolvedora do antivírus DFNDR Security.
A armadilha repete características de uma promoção oficial realizada pela empresa de cosméticos, de modo a convencer as vítimas a receber futuras notificações no smartphone. A ação pode servir como porta de entrada para futuros ataques

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Dois novos lançamentos de notebooks leves e poderosos chegam ao Brasil


Dois novos lançamentos de notebooks leves e poderosos chegam ao Brasil

Dois lançamentos da VAIO estão disponíveis para quem busca inovação e portabilidade, carregando por aí uma máquina potente sem precisar abrir mão da praticidade e leveza.
O primeiro deles, o VAIO S11, é fabricado em carbono e alumínio e pesa apenas 840g com seus 11,6 polegadas de tela. Fácil de levar na mochila, ele não deixa o usuário na mão quando o assunto é configuração: vem com tela widescreen antirreflexo e resolução de 1920 x 1080 pixels, Windows 10, processador Intel Core i5 de 2.50Ghz, SSD de 256GB e memória RAM de 8 GB, além do teclado e touchpad retroiluminados e sensor de impressões digitais.
 
Ele já está disponível para a venda na loja online da VAIO e custa a partir de R$ 8.999.

Já a segunda novidade é pra quem usa notebook para atividades de alto desempenho. O VAIO S13 vem com SSD de 256GB e memória RAM de 8 GB, além de processador Intel Core i7 de 2.70Ghz. Graças à sua tela de 13,3 polegadas widescree Full HD, seu forte é a qualidade gráfica. Também vem com o teclado e a touchpad retroiluminado e com leitor de digitais.
Nas cores prata ou preto, o VAIO S13 é projetado em liga de magnésio e alumínio, o que faz dele um notebook extremamente resistente.

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Apple prepara-se para apresentar novidades mas podem não ser as que o mercado espera


Apple prepara-se para apresentar novidades mas podem não ser as que o mercado espera.

A empresa da maçã prepara-se para apresentar novas características, como novas aplicações. Ainda assim, os utilizadores podem ficar desapontados com as alterações que não vão chegar este Inverno.
Novas características vão ser introduzidas este Inverno por parte da Apple. Entre as novidades, de acordo com a Bloomberg, está um conjunto de aplicações que vão trabalhar nos iPhones, iPads e Macs, bem como uma ferramenta de saúde no digital que vai permitir aos pais saber quanto tempo os filhos passaram a olhar para os ecrãs.
Mas, ainda assim, estas novidades podem não chegar para satisfazer os clientes da empresa liderada por Tim Cook. Não é expectável que a tecnológica apresente novidades na área dos ecrãs dos iPhones, iPad e CarPlay. Segundo a agência de informação, a apresentação destas novidades foi adida pela tecnológica. A companhia concluiu que são necessárias mudanças na forma como são desenvolvidos e introduzidos no mercado os novos produtos. Poderá tratar-se quase de um regresso, em parte, ao passado.
Fontes da agência avançam que a empresa mudou assim a sua estratégia e decidiu que os seus engenheiros vão passar a trabalhar nas melhorias necessárias ao sistema operativo nos próximos dois anos, em vez de estarem, como até aqui, a apresentar muitas mudanças anuais. Ou seja, a Apple vai continuar a apresentar actualizações todos os anos mas os seus especialistas vão poder adiar a introdução as novas características em um ano de forma a que estas estejam totalmente aperfeiçoadas.
Esta decisão surge depois de utilizadores do iOS – sistema operativo da Apple – terem-se queixado de que o software apresenta alguns bugs e que as características não estão totalmente desenvolvidas.
"Esta mudança indica que a Apple está a começar a ter consciência de que os tempos não estão a ser cumpridos, as coisas estão ser colocadas no mercado com bugs – o que anteriormente não sucedia", quando a empresa era uma empresa mais pequena, disse uma fonte familiarizada com a tecnológica, citada pela Bloomberg.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Galaxy Note 9 poderá contar com leitor de impressões digital


Galaxy Note 9 poderá contar com leitor de impressões digital

um novo aparelho com um leitor de impressão digital sob a tela. Ao contrário do que muitos imaginam, a novidade não deverá ser liberada para o Galaxy S9 , mas, sim, para o Galaxy Note 9. Com o novo sensor, o modelo poderia dispensar o leitor na traseira para colocá-lo na parte frontal sem comprometer o visual com bordas mínimas.
De acordo com a Samsung registrou uma patente de um leitor de impressão digital na parte frontal do Galaxy Note 9 . O sensor conta com um formato parecido daqueles presentes em outros celulares da marca, mas não ficaria visível para os usuários. Em vez disso, o celular exibiria uma sinalização para apontar a posição exata do leitor e depois de perceber indícios de impressão digital na tela.
O projeto da Samsung seria bem parecido com o leitor do celular chinês Vivo X20 Plus. Lançado na edição de 2018 da Consumer Electronics Show (CES), o modelo foi desenvolvido em parceria com a Synaptics, empresa norte-americana especializada em sensores de impressão digital, e também conta com o sensor na área inferior da tela. O modelo tem preço sugerido de 3.598 Yuan, equivalente R$ 1,8 mil.
O Galaxy Note 8 foi divulgado oficialmente em 23 de agosto de 2017. Com base nesta data, a Samsung ainda teria cerca de cinco meses para preparar a nova geração do celular. Ainda de acordo com o site chinês, a possibilidade do leitor ser apresentado ainda no Galaxy S9 não é descartada, mas é menos provável.

Hackers infectam computadores para minerar criptomoedas


Hackers infectam computadores para minerar criptomoedas.

Aconteceu a um hospital americano no Tennessee e cada vez mais computadores em todo o mundo estão a sendo afetatos. Estes hackers não roubaram dados pessoais nem pediram pagamentos em bitcoins. Uma nova forma de ataque a computadores, pretende usar os recursos para minerar as tal criptomoedas.
Já tem um nome “cryptojacking”: e a mesmo que os utilizadores estejam atentos às atividades dos computadores afetados, é difícil dar por isso. Os computadores infectados continuam a efetuar as suas actividades normais, embora mais lentamente, enquanto os atacantes utilizam o hardware para minerar moedas como o Bitcoin, etherium ou litecoin.

No último ano, o ransomware ficou famoso pela quantidade de computadores que afetou. Neses casos, os piratas pediam pagamentos em troca da descriptação dos ficheiros comprometidos.

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

informações sobre o novo geração do Android P


informações sobre o novo geração do Android P

O Google deve apresentar nos próximos meses o Android P, e, segundo a Bloomberg, o novo sistema operacional da empresa vai ganhar novidades. O Google estaria preparando melhorias no visual da plataforma, assim como adicionando novos recursos voltados para os diferentes formatos de tela que ganham espaço entre smartphones.
Enquanto a Apple vai deixar grandes atualizações de lado para melhorar o desempenho do iOS 12, o Google tem uma preocupação maior com o visual do Android. De acordo com a Bloomberg, o objetivo é tornar o Android mais atraente para o seus usuários e quem usa iOS na tentativa de converter usuários do sistema da Apple para a plataforma do Google.
Veja também:Android pode se tornar um sistema menos aberto e com atualizações mais rápidas .O Google dá os primeiros indícios de qual pode ser o nome do Android P.
Pensando nos diferentes formatos de tela que pintaram nos últimos tempos, o Google planeja uma maneira melhor de integrar barras como a que aparece na parte superior da tela do iPhone X. O Android deve não ser só se adaptar a telas com espaços destinados a câmeras e sensores, como também vai integrá-las melhor ao sistema operacional. Isso também inclui adaptações para outros tipos de dispositivos, como aparelhos com múltiplas telas ou telas dobráveis.
Em relação a funcionalidades de software, o Google Assistente deve ser ainda mais integrado ao Android, com a possibilidade de outras empresas também aproveitarem recursos da inteligência artificial do Google aos seus aplicativo.
A expectativa é que o Google dê as primeiras informações sobre o Android P no mês de março, para revelar todos os detalhes do sistema operacional em maio, durante a conferência Google I/O. O lançamento para o público do novo Android deve acontecer durante o segundo semestre.

O que mudou do Galaxy A7 para o Galaxy A8


O que mudou do Galaxy A7 para o Galaxy A8

Samsung aposta em bordas mínimas e câmera dupla frontal para aproximar a linha Galaxy A de seus modelos mais avançados.
Os celulares premium da Samsung de 2018, o Galaxy A8 e A8 Plus, acompanham a tendência dos smartphones com bordas mínimas e cantos arredondados. Com a câmera dupla frontal, a fabricante sul-coreana promete um bom desempenho nas selfies, que são o foco da linha Galaxy . Desse modo, os telefones se distanciam do antecessor Galaxy A7 , e devem entregar desempenho superior ao do irmão mais velho. Apesar disso, o A7 ganha destaque quando o assunto é bateria.
Os celulares mais recentes foram lançados no Brasil com preço de R$ 2.399, modelo mais simples, e R$ 2.699, versão Plus. Já o A7 (2017) pode ser encontrado na internet por cerca de R$ 1.230 e R$ 1.340, nos modelos de 32 GB e 64 GB.
Conheça a linha de smartphones Galaxy A 2017, da Samsung
Samsung quer levar câmera dupla para celulares mais baratos

Design

Os smartphones Galaxy A8 e A8 Plus, assim como o antecessor, contam com acabamento em metal e vidro. O design dos novos dispositivos, porém, segue a linha do Galaxy S8 e S8 Plus, com cantos arredondados e bordas mínimas. A mudança pode melhorar o manuseio do celular, deixando a pegada mais ergonômica e confortável. Além disso, o botão da parte frontal ficou de fora nas novas versões do telefone.
Os modelos têm as seguintes dimensões: 149,2 x 70,6 x 8,4 mm e 159,9 x 75,7 x 8,3 mm, correspondendo, respectivamente, ao A8 e ao A8 Plus. A versão mais simples é um pouco menor do que o A7 (2017) (156,8 x 77,6 x 7,9 mm), mas o Plus supera o irmão mais velho em tamanho. Com 191g, o modelo Plus é mais pesado, passando os 172g do A8 e 186g do A7 .

Os dispositivos vêm com a certificação IP68, que garante resistência à água (até 1,5 metro de profundidade em água doce por 30 minutos) e poeira. O celular de 2017 está disponível nas cores preto, dourado e rosa, e os mais novos nas cores preto, dourado e ametista.
Galaxy A8 estará disponível em três cores diferentes preto,dourado e ametista.

Tela

Os lançamentos da Samsung contam com display no formato 18,5:9 e resolução Full HD+ (2220 x 1080 pixels) . O tamanho é de 5,6 polegadas no A8 e 6 polegadas no A8 Plus. Além disso, eles vêm com tecnologia Super AMOLED, conhecida por entregar cores vivas e contrastes intensos.
Já a tela do A7 (2017) tende a apresentar uma qualidade inferior por conta da resolução Full HD (1920 x 1080 pixels) combinada com tamanho maior: 5,7 polegadas. Essas configurações resultam em uma densidade de 386 ppi, contra 441 ppi do A8 (2018), o que indica que os modelos mais recentes deverão entregar imagens mais nítidas.

Câmera

Os celulares contam com 16 MP na câmera traseira, mas aberturas de lente de f/1.9 para o A7 e de f/1.7 nos outros modelos, que deverão capturar fotos melhores em ambientes com pouca iluminação. A real mudança fica com a frontal, que é dupla nos A8 e A8 Plus (2018): os sensores são de 16 MP e 8 MP, e a abertura é f/1.9. Com o uso da tecnologia de selfie dupla, é possível usar o efeito de foco dinâmico, conhecido como Modo Retrato no iPhone. Ele permite que o usuário destaque uma pessoa ou objeto e desfoque o fundo. A expectativa da empresa é agradar os consumidores que são apaixonados por selfies de qualidade.
Os lançamentos também contam com o recurso de Estabilização Digital de Imagem de Vídeo (vDIS). De acordo com a Samsung, a tecnologia permite gravar filmes claros e mais nítidos, mesmo em movimento.
Processador, memória RAM e armazenamento
A geração 2018 do Galaxy A8 e A8 Plus também desbanca quando o assunto é processadores. Os telefones contam com um octa-core de até 2,2 GHz (Exynos 7885), de produção própria da Samsung, em conjunto com memória RAM de 4 GB. Por outro lado, o A7 trazia um processador octa-core de 1,9 GHz (Exynos 7880) e memória RAM de 3 GB, que não deve decepcionar em tarefas básicas e intermediárias.
O armazenamento também muda de uma geração para a outra. Os novos membros da família Galaxy A vêm com memória interna de 64 GB, enquanto os modelos de 2017 são vendidos em versões com 32 GB e 64 GB.
Ambos os smartphones comportam cartão de memória microSD sem limite nominal, uma vez que seguem o padrão SDXC. Segundo Renato Citrini, gerente de produto da Samsung Brasil, hoje em dia existem no mercado cartões microSD com até 400 GB.

Versão do Android

Os novos celulares da fabricante sul-coreana vêm com Android 7.1.1 Nougatde fábrica. A versão trouxe o modo de multijanelas, gráficos melhores e emojis com figuras mais humanas, além de respostas rápidas de mensagens nas notificações e um sistema de economia de bateria que tende a poupar carga com a tela do smartphone bloqueada.
Já o modelo de 2017 vem com uma versão anterior, o Android 6.0 Marshmallow. No entanto, é possível que o smartphone possa receber o Android 8.0 Oreo. Uma lista vazada em 2017 mostrava o A7 (2017) como um dos telefones que poderiam ser atualizados.
A versão mais recente do sistema do Google tem foco na otimização da bateria e conta com recursos interessantes, como o Picture-in-Picture (PiP), que permite o uso de dois apps ao mesmo tempo, e o Google Play Protect, um antivírus que promete aumentar a segurança do usuário.

Bateria

No quesito capacidade de bateria, é o celular mais antigo que sai na frente. O Galaxy A7 (2017) conta com 3.600 mAh e tecnologia de carregamento rápido, contra os 3.000 mAh do A8 (2018) e 3.500 mAh do A8 Plus (2018). É bom pontuar que, com a diferença no tamanho da tela entre os sucessores, a performance dos três telefones pode ser bem semelhante.
Preço
O Galaxy A7 (2017) está à venda na loja online da Samsung por R$ 2.299, versão de 32 GB, e R$ 2.099, versão de 64 GB. No entanto, é possível encontrar o celular em lojas online por cerca de R$ 1.230 e R$ 1.340, nos modelos de 32 GB e 64 GB.
Quem quiser aproveitar as últimas tendências no mercado de celulares deverá desembolsar bem mais: os Galaxy A8 e A8 plus(2018) chegaram ao mercado brasileiro no dia 6 de fevereiro, pelos preços sugeridos de R$ 2.399, Galaxy A8, e R$ 2.699, Galaxy A8 Plus.

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Galaxy Note 8 vs iPhone X


Galaxy Note 8 vs iPhone X

Chegou a hora de colocar os smartphones mais caros da Samsung e Apple para se enfrentarem. De um lado temos o Galaxy Note 8 e do outro o iPhone X. Qual será que oferece o melhor custo-benefício?
O smartphone da sul-coreana tem a proposta de oferecer uma experiência bastante completa, indo muito além do que vemos normalmente em outros smartphones Android. O da Apple, por outro, veio como uma alternativa para quem estava cansado do mesmo design usado pela empresa nos últimos anos em seus smartphones.
O iPhone X é o mais caro dos dois, mas será que ele tem mais a oferecer que o Galaxy Note 8? Vamos conferir as diferenças em cada aspecto entre os modelos .

Design

Ambos os modelos analisados contam com corpo feito em alumínio e traseira em vidro. O diferencial fica para o fato que o modelo da Samsung apresenta bordas mais curvas de ambos os lados, enquanto o da Apple aposta em vidro 2,5D.
O metal usado por ambas fabricantes tem acabamento brilhante, o que deixa o produto mais elegante, mas ao mesmo tempo facilita manchar o metal. Esse “problema” é mais crítico no iPhone X, por ter bordas mais largas. No Note 8, as duas camadas de vidro (frontal e traseira) adentram as laterais deixando a lateral de metal bastante fina.
Aqui não há muito o que escolher, os dois oferecem uma alta qualidade de construção, digna de smartphones topo de linha. Enquanto o Galaxy Note 8 vem com proteção Gorilla Glass 5 de ambos os lados, o da Apple traz proteção contra riscos da própria empresa. De qualquer forma, nenhum apresenta alta resistência contra quedas.
Outra característica em comum é que os smartphones apresentam ótimo aproveitamento frontal com 83,2% da frente do Note 8 sendo ocupada pela tela, enquanto o iPhone X entrega 82,9% de aproveitamento. É uma diferença pouca e que nem altera a forma como utilizamos cada um deles.

Samsung Galaxy Note 8

74.8 x 162.5 x 8.6 mm
6.3 polegadas - 2960x1440 px

Apple iPhone X

70.9 x 143.6 x 7.7 mm
5.8 polegadas - 2436x1125 px
Como visto acima, o iPhone X é consideravelmente mais compacto que o Galaxy Note 8. Ele é menor e mais estreito, porém tem a mesma espessura (162,5 x 74,8 x 8,6 mm contra 143,6 x 70,9 x 8,6 mm). Em peso o modelo da Apple também sai em vantagem com 174 gramas contra 195 gramas do Note 8.
Na lateral direita temos o botão de ligar/desligar em ambos os modelos do nosso comparativo. Ele é consideravelmente maior no iPhone X, já que acaba sendo usado com muita frequência diante da falta de botão físico abaixo da tela (é nele que você acessa à Siri, por exemplo).
No lado esquerdo temos um botão dedicado para a Bixby no Galaxy Note 8 e o botão de controle de volume. No iPhone X, além do botão de volume, temos a clássica chave que serve para colocar o aparelho no silencioso.
O iPhone traz gaveta para apenas um chip, enquanto o Note 8 permite ao usuário escolher entre usar dois chips ao mesmo tempo ou usar o slot secundário para o cartão microSD, permitindo expandir a memória interna do dispositivo.
Na parte inferior temos outra diferença entre os dois: o Note 8 ainda oferece entrada P2 para fones de ouvido, enquanto no iPhone X é necessário usar o adaptador de Lightning para P2. Aqui também encontramos o microfone de chamadas e alto-falante. No caso do smartphone da Maçã, o alto-falante frontal usado para chamadas também reproduz demais sons.

Tela e som

O iPhone X é o primeiro smartphone da Apple com tela OLED, sendo esta fabricada pela Samsung. Assim como a tela do Galaxy Note 8, o painel usado no smartphone da Maçã apresenta subpixels em formato de diamante, o que indica que Samsung usou a mesma estrutura em ambas as telas.
E como esperado de um painel OLED, temos cores bastante vivas e que atraem vários olhares. A tela Super AMOLED do Galaxy Note 8 satura mais as cores por padrão, mas Samsung oferece alguns perfis de calibração de cores para quem prefere tons mais próximos do real.
Em ângulo de visão temos o mesmo excelente desempenho em ambas as telas, além de alcançarem um brilho muito alto. Aqui o iPhone X leva vantagem ao conseguir entregar um brilho mais forte do que a tela do Note 8, mas quando o aparelho começa a esquentar ele não segura o brilho forte por muito tempo.
Isso acaba comprometendo o desempenho em ambiente externo, especialmente sob luz solar, onde a tela do Galaxy Note 8 entrega melhor claridade. Na sombra, no entanto, os dois oferecem o mesmo nível de visibilidade, ficando acima de muitos outros flagships.
Os dois oferecem ótima tela e que vai agradar a grande maioria, mas a maior flexibilidade oferecida no Galaxy Note 8, além do melhor desempenho ao sol garante vitória para o smartphone da Samsung.
Por outro lado, em som é onde o iPhone X supera. O smartphone da Samsung conta com apenas um alto-falante, o que resulta em som mono. O da Apple usa o alto-falante frontal para reproduzir músicas e outros sons, o que amplia a imersão em vídeos e jogos. Além disso, ele alcança frequências mais baixas, sendo perceptível um grave mais presente.

Android:Vamos analisar o maior problema do sistema operativo da Google



Android:Vamos analisar o maior problema do sistema operativo da Google

O Sistema Operativo da Google com o nome de Android é o mais utilizado do mundo e por boas razões. A empresa americana libertou Android como um sistema livre para que qualquer pessoa possa utilizar sem que para isso tenha de pagar.
Mas tudo que é de borla tens os seus pontos menos positivos. Baseado em Linux, o sistema operativo Android está longe de ter os mesmos valores do sistema base. Linux é construído e evoluído pela população. Existe uma vontade enorme de mostrar que o mundo consegue viver sem as grandes cooperações e sistemas fechados.
 Sony Xperia XZ2 Pro poderá tirar o protagonismo ao Samsung Galaxy S9?
O sistema operativo Android vive um pouco isso nas comunidades que trabalham em ROM’s. Contudo, com o passar dos anos os fabricantes foram melhorando os seus terminais e User Interfaces de forma a evitar que os utilizadores sintam a vontade de instalar algo mais.
O fato de uma instalação de uma ROM quebrar a garantia não é propriamente a melhor maneira de viver num sistema teoricamente “livre”.

Android precisa mudar o única que tem poder para fazer isso é o Google


Podemos observar no gráfico acima o marketshare das várias versões Android até então. Ou seja, nos determinados anos, quais eram os sistemas operativos mais utilizados naquele momento.
Com o começo em 2007, o sistema Android começou a ficar mais popular com o Eclair em 2010. A atualização que saiu de forma oficial no primeiro Samsung Galaxy S. Durante os próximos 4 anos vemos que Android teve um marketshare considerável. Mais de 50% dos equipamentos tinham as últimas atualizações de sistema. Então o que é que aconteceu depois de 2014?
Depois do Jelly Bean as coisas começaram a ficar complicadas. Os smartphones deixaram de se atualizar, o marketshare das últimos atualizações baixaram consideravelmente e Android parece não conseguir acabar com o problema de fragmentação de mercado.
Não sou analista de mercado mas tenho ideia que foi em 2014 que o mercado de smartphones deu um salto gigante. Até ao momento eram poucos aqueles que confiavam em marcas oriundas da China.
Nos últimos 4 anos vemos marcas como Umidigi, Elephone, Ulefone, Cubot, Uhans e por aí fora a lançarem modelos sem parar. O problema está nas atualizações de sistema. Quem compra um dispositivo de uma marca oriunda da China tem de rezar para que a empresa se interesse por uma atualização, quanto mais 2 anos delas.
O que é que a Google pode fazer face à fragmentação de Android?
A Google tem lutado para terminar com este problema. O project Treble promete diminuir estes números que tanta má fama dão ao sistema operativo. Contudo está longe de ser a ideologia perfeita.
Não me parece que Android consiga rapidamente tomar o marketshare do seu concorrente iOS por uma simples razão. Há imensas marcas no mercado com smartphones Android que simplesmente não querem saber.
A Google precisa de fazer algo e, na minha opinião, é deixar o sistema de lado. Criar um novo sistema operativo baseado em Android mas com acesso limitado às fabricantes que o usam. Obrigar a todos os fabricantes a atualizar o sistema de forma a evitar problemas de segurança futuros.
Quantas vezes não ouvimos falar de um malware para Android? Os culpados por estes problemas são os sistemas não atualizados. Se tudo estivesse como devia não haveria problemas.
Isto significa perder a liberdade de Android num novo SO da Google?
Talvez sim, talvez não. Se a Google realmente quiser eliminar o problema tem de fazer algo drástico. Isto significa meter o travão naqueles que simplesmente não querem saber. Eliminar por ordem natural as fabricantes que se preocupam em criar smartphones e não os atualizar. Os primeiros anos poderiam ser problemáticos, contudo, o futuro seria mais seguro e vantajoso para o utilizador final.

WhatsApp prepara chamadas de vídeo em grupo


WhatsApp prepara chamadas de vídeo em grupo

Usuário poderia conversar com três ou mais amigos, com direito a áudio e vídeo.
O WhatsApp deve ganhar chamadas em vídeos com três ou mais pessoas num futuro breve. Por enquanto, cada usuário só pode se conectar por vídeo com mais uma pessoa. De acordo com o site WABetaInfo, especializado em vazar informações sobre o mensageiro, há pistas a respeito deste recurso no WhatsApp Beta (versão 2.17.443), disponível para Android.
Lembrando o principal recurso do Skype, a novidade divulgada nesta semana pode ser útil para pequenas e médias empresas em busca de ferramentas de videoconferência.

WhatsApp pode ganhar videoconferência no Android.

Na cola do Telegram: WhatsApp pensa em liberar figurinhas
Ao tentar alternar entre chamadas de voz e de vídeo na conversa, o site WABetaInfoconfirmou o recurso de chamadas de vídeo em grupo para Android. A mensagem de erro entrega a nova função: “Não foi possível alternar entre chamadas de voz e vídeo porque o recurso não está disponível em chamadas de grupo".
Além das chamadas em grupo, outros recursos podem chegar com o update mais recente. Na versão para Android, será possível desativar a opção de mostrar todos os contatos, incluindo oculto.
Outra possível novidade são os adesivos, semelhantes aos encontrados no Facebook para iOS (iPhone) e Android. A atualização também pode contar com o WhatsApp Pagamentos, uma função que permite enviar e receber dinheiro por meio do UPI, sistema de pagamento interbancos que é certificado pelo governo indiano.

Evleaks apresenta as cores do Galaxy S9 e S9+


Todos juntos! Evleaks apresenta as cores do Galaxy S9 e S9+

Não existe comunidade de vazamentos se não existir o nome de Evleaks! O famoso informante que já virou uma lenda por conta de suas publicações incrivelmente certeiras no cenário de tecnologia móvel ataca novamente para acabar com a surpresa da Samsung antes da MWC.
Evan Blass já compartilhou conosco uma linda renderização do Galaxy S9 ao lado do S9+ em janeiro, fechando o pacote com a edição Azul Coral que honra bastante o legado da família.
Está perto! Galaxy S9 tem cores e especificações listadas em site de operadora .
Estas são todas as capas oficiais da família Samsung Galaxy S9 4
Android 10 Fev Novas fotos exibem as capas oficiais da geração Galaxy S9, confirmando diversos rumores.
E só para encerrar a semana – que tal conferir mais uma imagem com todas as cores que abrangem os novos celulares topos de linha da Samsung?
Evleaks reforça que o portfólio da marca sul-coreana receberá os celulares nas opções Midnight Black (preto), Lilac Purple (roxo), Titanium Gray (cinza) e Coral Blue (azul).
É basicamente as mesmas cores divulgadas por uma loja na Romênia e o vazamento que encerrou 2017.
Samsung ainda vai apostar nestas cores que já ganharam predileção do público com relação à série Galaxy S, além de manter o mesmo arquétipo de design que já conhecemos com o Galaxy S8.
A principal diferença estética nos celulares da nona família Galaxy S fica por conta das câmeras e leitor biométrico para registro de impressões digitais, que foram reposicionados.
E aí, qual destas opções você achou a mais bonita?
Os novos Galaxy S9 e S9+ serão oficializados na MWC em 25 de fevereiro. Guarde estes últimos vazamentos como dicas valiosas sobre alguns dos smartphones mais esperados e relevantes deste ano.
O que esperar da família Samsung Galaxy S9?

Tela Super AMOLED com resolução Quad HD + (2880 x 1440 pixels)

Chipset Qualcomm Snapdragon 845 ou Samsung Exynos 9810

4 GB ou 6 GB de RAM

A partir de 64 GB de memória para o armazenamento interno

Câmera única (Galaxy S9) e câmera dupla (Galaxy S9 Plus)

Leitor de impressões digitais e de íris

Certificação IP68 contra água e poeira
Android Oreo sob a interface exclusiva da família da Samsung Galaxy como sistema operacional

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Android Oreo em fim chega ao Galaxy S8

Android Oreo em fim chega ao Galaxy S8

Samsung libera Android Oreo para seus aparelhos Galaxy S8 e S8+ atualização chega primeiro para usuários beta. 
 A Samsung demorou mas enfim anunciou a liberação do novo sistema operacional do Google em seus aparelhos. Segundo a empresa, a versão final do Android 8.0 já pode ser encontrada nos Galaxy S8 e S8+, lançados inicialmente em agosto.
O processo para o update está acontecendo de região em região. Inclusive, a companhia está dando prioridade inicial aos usuários que se cadastraram no programa beta e que testaram as versões do sistema antes mesmo de ele chegar à sua versão final. 
Para quem esteve no programa de testes, a atualização não pesará tanto, utilizando apenas 487 MB de espaço do dispositivo. Já para quem instalar o Android Oreo pela primeira vez, a partir do Nougat, a tendência é que o download do arquivo seja bem maior. 
É provável que a atualização chegue nas próximas semanas para os demais usuários. 

Samsung Galaxy S9 deve manter entrada para fones de ouvido

Samsung Galaxy S9 deve manter entrada para fones de ouvido.

Mais detalhes do visual do Samsung Galaxy S9 foram revelados por meio de imagens vazadas na sexta-feira (9) pelo famoso leaker Evan Blass. Nelas, é possível ve que o próximo flagship da sul-coreana pode manter a entrada para fones de ouvido, algo que contraria a tendência de concorrentes da mesma categoria, como o iPhone X e o Huawei Mate 10 Pro.
Esta informação foi obtida depois que Blass publicou um tweet com duas imagens do novo DeX Pad em companhia do Galaxy S9. Além do smartphone em si, é possível notar que o novo dock que transforma o smartphone em um PC contará com portas USB adicionais, entrada HDMI comuns e um conector USB-C para ligar o acessório a uma fonte de energia, bem como um visual retangular.
Ainda sobre o Galaxy S9, na imagem podemos reparar que o layout dos botões se assemelham muito ao design do S8, com o botão da Bixby localizado logo abaixo dos controles de volume. Embora a assistente de voz da Samsung não tenha sido um grande sucesso entre os donos dos aparelhos móveis da marca, parece que a companhia está empenhada em manter a função no seu novo aparelho.

Como recupera mensagens apagadas no watsap

Como recuperar mensagens apagadas no WhatsApp
O WhatsApp liberou no fim do ano passado uma função que permite apagar mensagens enviadas. A nova funcionalidade tem sido bastante utilizada pelos usuários do watsap mensageiro, que tem até 7 minutos para deletar o conteúdo enviado. Porém alguns aplicativos estão buscando outras formas para driblar essa função.
Devido a uma falha no serviço, o aplicativo WA Delete for Everyone promete recuperar os conteúdos originais apagados do aplicativo. Disponível somente para o sistema Android, o aplicativo está disponível na Google Play Store. 

WhatsApp pretende apagar mensagens de bom dia WhatsApp testa recurso para combater spam e correntes Para utilizar o aplicativo é preciso permitir que o WA Delete for Everyone tenha acesso as notificações do WhatsApp. O aplicativo é gratuito e tem o limite de resgatar 50 mensagens por contato.

O celular não tá teclando

Em primeiro lugar deve-se olhar a manta do teclado e os contatos magnéticos. Nos contatos magnéticos pode haver trilha ou sujeiras. ...